Depressão em animais domésticos: saiba quais os sintomas


Você sabia que a depressão, o mal do século 21, também podem afetar os nossos pets? Estudos comprovaram que a doença não se manifesta com exclusividade em seres humanos e que animais domésticos, como os cães e gatos, também podem desenvolver a depressão por diversas causas externas a eles.


Um dos fatores é a ausência ou o afastamento dos donos em relação a seus pets. Isso pode acontecer devido a chegada de uma criança ou um novo animalzinho de estimação na família. Ou, também, em virtude de mudanças de hábitos, horários e rotinas. Animais que ficam muito tempo sozinhos dentro de casa também podem desenvolver um quadro de depressão.


A depressão pode acarretar diversas outras doenças e colocar em xeque a saúde do seu pet. Por isso, é extremamente importante observar se há alguma mudança no comportamento do animal, como latidos ou miados frequentes, lambidas e mordidas excessivas nas patas e rabos. Fique atento também com o aparecimento de inflamações na pele, perda ou ganho de peso e apatia.


Os sintomas da depressão em animais de estimação são: isolamento, falta de apetite e de ânimo para brincar e passear, tristeza profunda, rejeição de carinho, apatia. Além desses sintomas, os felinos também apresentam comportamentos agressivos.

Os estudos comprovaram que algumas raças de cães, devido ao alto grau de dependência, merecem maior atenção pois tendem a desenvolver a depressão, são elas:


- Poodle

- Yorkshire

- Pinscher


Mas o que fazer caso notar alguns dos sintomas de depressão no meu pet? Primeiro é de extrema importância tentar devolver o ânimo para ele. Leve-o para passear ao ar livre, brinque com ele, dê atenção e carinho, tente acostumá-lo com a nova rotina e mantenha-o ativo quando estiver ao lado dele. É necessário, também, procurar um veterinário para receitar o seu pet com florais.

​​​Mundo Animal Rio Preto ​© 2018 

Desenvolvido         Novva Comunicação

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • White YouTube Icon